Felipe Neto e a Monarquia brasileira

Quando a ofensa não precede argumentos e embasamento, o seu interlocutor vira um palpiteiro mequetrefe.

Foi exatamente isto que vimos no episódio lamentável de desrespeito em diversos níveis de Felipe Neto à Casa Imperial e à Dom Bertrand:

Ver o comentador geral da república (Felipe Neto) tripudiar de um homem da magnitude de Dom Bertrand, chega a ser passível de pena.

Muitos ficam indignados e assustados, outros ficam possessos de raiva, mas é justamente esse sentimento que os revolucionários tentam inflar em seus alvos. Prendem-se a jargões, palavras gatilhos e soam o apito de Pavlov, ativando uma horda de zumbis.

Estas pessoas não raciocinam o que escutam ou lêem, mas apenas sentem, esse é o papel desta gente nos mais diversos meios.

Mas tenha certeza, ontem muitos foram procurar quem é Dom Bertrand, acharam palestras dele e tomaram a sua “primeira Redpill”.

Ah! E o garoto foca? Daqui 20 anos ninguém lembrará dele, se lembrar será para lamentar…

Paciência, resiliência, suor e muito trabalho… tudo isso ainda é só o começo.

Escrito por

Paulo Henrique Araujo

32 Artigos

Palestrante, Apresentador e Diretor Executivo do PHVox.
Ver todos artigos

3 comentários em “Felipe Neto e a Monarquia brasileira”

  1. É isso mesmo PH. Dom Bertrand é um ícone para a decência, a licitude, os bons costumes e a cultura Brasileira. Petrópolis, seu “feudo“, parece um paraíso se comparado à tão próxima baixada fluminense. E o Nelipe Feto é ícone do quê???

  2. Esse rapaz é um coitado, quer aparecer de todo jeito e a falta de respeito e falta de educação prevalece nessa reportagem, lamentável

Deixe um comentário

Your email address will not be published. Required fields are marked *