Já fazem algumas semanas que falo em análises no PodConserva que as convulsões por toda a América Latina não são coincidências ou mero acaso.

Nos dias 05/10/2019 e 12/10/2019 no Programa Análise da Semana, Sr. Sepúlveda e eu ao analisarmos o Caos Político Instaurado no Peru, apresentamos as ligações existentes entre a classe política peruana e as ligações da Odebretch com a corrupção do País.

Vale ressaltar que a Odebretch também não é uma ponta solta nesta história, haja visto que a empresa além de estar profundamente ligada ao mensalão e ao Petrolão além de financiar grupos revolucionários pelo continente, como no caso das FARC onde pagava em média US$100.000,00 mensais para tocar obras em locais dominados pela guerrilha, assim como ligações no Equador na época que o país era comandado pelo também membro do Foro de São Paulo Rafael Correa.
Feito este apontamento, temos que ligar mais “alguns pontinhos” como diria o meu amigo José Carlos Sepúlveda.

O Foro de São Paulo é realizado

Em 21/06/2019 foi realizado em Caracas na Venezuela reunião do Foro de São Paulo que contou com a participação da alta cúpula da esquerda latino-americana, incluindo a Presidente do PT Gleisi Hoffmann. Além de Gleisi, Rafael Correa ao que tudo indica participou do “Fórum dos Sovietes Tropicais”.

O documento final do encontro pede o fim da “perseguição política” aos seletos e inocentes membros da organização. Elaborado pelo conjunto de partidos políticos e movimentos sociais, exige a liberação do ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva e do vice-presidente do Equador, Jorge Glas. Em paralelo, o documento pede o fim da perseguição contra líderes como ex-presidenta da Argentina, Cristina Fernández de Kirchner, o ex-presidente do Equador, Rafael Correa, e o ministro de Relações Exteriores do Equador, Ricardo Patiño.

A Argentina na rota do retorno da esquerda ao poder

Aproveitando-se do caos econômico na Argentina, quase em sua totalidade herança das políticas de esquerda do Peronismo e Kirchnerismo, inicia uma campanha midiática de enfraquecimento do já combalido Maurício Macri, com direito ao “poste argentino” Alberto Fernández visitando o ex-presidente preso por corrupção: Lula.

Amazônia em chamas e apoio globalista

O mês de agosto é tomado mundialmente pela incrível cortina de fumaça (literalmente falando) que envolveu as queimadas na amazônia. Aqui você encontra um breve resumo que fiz em meu canal no youtube:

Além de interesses da agenda globalista, o movimento revolucionário latino americano aproveita o fato utilizando como massa de manobra a questão indígena, chegando a utilizar o também membro do Foro de São Paulo e presidente da Bolívia Evo Morales, que chegou a se perder em meio as queimadas em seu país, ressaltando claro que o país cocalero foi o maior atingido pelas queimadas e não o Brasil como propagado internacionalmente.

Manchas misteriosas de óleo são espalhadas

Ainda no mês de agosto começam a aparecer manchas de óleos na costa norte do Brasil, a Petrobrás não registra nenhum acidente em suas plataformas ou embarcações no período. Greenpeace, mídia e ONU calam-se sobre o ocorrido, diferente do que foi feito com as queimadas… não tivemos Greta Thunberg acusando o mundo de roubar seus sonhos.É identificado que a origem do óleo é a Venezuela, país que sediou o Foro de São Paulo vale ressaltar. A mídia esconde o fato.

O Peru tem seu governo partido ao meio literalmente

Na virada dos meses de setembro para outubro o caos político e constitucional toma conta do Peru, em uma trama como dito no início que envolve a Odebretch o congresso peruano e o controle da corte suprema do país. Entenda em detalhes neste episódio do PodConserva:

Equador entra na rota do caos

No início do mês de outubro eclodem revoltas populares no Equador por conta do aumento do combustível no país, aumento causado pelo fim de subsídios econômicos ao petróleo. Estes eventos foram detalhados também no episódio de 05/10 do PodConserva (player acima) e no dia 12/10:

Vale ressaltar aqui a também utilização de indígenas nas convulsões sociais do país.

Chile é tomado por protestos violentos

Na semana passada inicia-se um enorme protesto por todo o Chile causado principalmente pelo aumento de 30 pesos na tarifa do metrô, equivalente a 20 centavos de real. O presidente chileno chegou a suspender o aumento da tarifa mas a ebulição social continuou.

O número de mortos nas ruas do Chile já chegam a 11 pessoas, o exército precisou ser acionado e o aeroporto de Santiago teve seus vôos suspensos hoje (21/10/2019).

A retomada ambientel contra o Brasil

Após um longo silêncio de ONGs, mídia e instituições internacionais, inicia-se um processo de culpar o governo do Brasil por não prever o desastre ambiental, cria-se uma falácia de que o desastre não foi contido por ter extinguido comitê do plano de ação de incidentes com óleo.

Com isso saem da toca não somente os intelectuais orgânico, mas também a mídia com coberturas bombásticas e criação de narrativas que chegam a colocar em cheque a origem do Óleo venezuelano em nossa costa, como apontei no Twitter:

Maduro deixa nas entrelinhas a responsabilidade do Foro de São Paulo

No último sábado dia 19/10/2019 o ditador Venezuelano Nicolás Maduro declara no primeiro congresso internacional “las comunas”:

“O Foro de São Paulo está bem em toda a América Latina, no Caribe e no resto do mundo, com os movimentos sociais”

“Devemos continuar. Estamos indo melhor do que pensávamos”, afirmou o ditador.

Conclusão

Para complementar esta linha do tempo, deixo abaixo a excelente publicação de Taiguara Sousa no Twitter:

Ainda assim, com provas cada vez maiores das ações do Foro de São Paulo, declarações de seus membros e o caos sendo instaurado, somos acusados de teóricos da conspiração e que o Foro não passa de uma reunião de saudosistas soviéticos.

Não se engane, o caos não deve tardar a chegar no Brasil pelas mãos e ações do Foro de São Paulo.