A destruição do Brasil e o conservadorismo frágil

Última atualização:

O Brasil sangra dentre muitos motivos por um muito específico e importante: O rompimento com a sua história, com a sua formação natural e com as raízes que lhe dão identidade.

O brasileiro é um povo órfão de sua própria história, onde a maioria esmagadora não conhece o passado de sua nação e a cultura verdadeira a partir de suas origens.

Fomos enganados por mais de um século com mentiras, distorções e destruição de nossa identidade e valores. Se hoje os revolucionários querem destruir a família para tornar o homem cada vez mais um “homem massa”, sem raizes, sem identidade e sem personalidade, este processo foi realizado com o Brasil enquanto nação e deu muito certo.

Hoje, infelizmente para a maioria dos brasileiros a referência de conservadorismo é 1964, um movimento que no apagar das luzes perseguiu conservadores, cedeu espaço para a esquerda e entregou a cultura cada vez mais nas mãos de revolucionários.

Foi exatamente neste período que a história do Brasil que já estava em estado grave, foi parar na UTI, com a deformação histórica, perda de heróis e construção de falsos heróis.

O Brasileiro foi levado a sentir vergonha de sua história e de seu povo, foi ensinado que sua origem é de aproveitadores, prostituas e ladrões. Que homens corajosos cruzaram o mundo atrás de pimenta.

Com o senso histórico destruído, perdemos nossas referências fundamentais que nos identificam como um povo, uma nação, uma unidade cultural (tão bem planejado por José Bonifácio). Viramos um “país massa”, entregue a própria sorte, perdido como um bebê em meio ao caos e usurpado por gente vil, nefasta e mesquinha.

Hoje mais do que nunca eu tenho a certeza que o trabalho mais importante de todos é resgatar nossa identidade nacional, nossa identidade como brasileiro e acima de tudo nossa identidade como indivíduo, abandonando o espírito do “homem massa”.

Não se engane, mesmo no que hoje descrevemos como nova direita brasileira, estamos abraçados com a massificação do homem, que no fim acaba por tornar ainda mais perdida as ações de um país que precisa se reencontrar.

“ou ficar a pátria livre ou morrer pelo Brasil”

  1. Belo texto é bem verdade que nos foi ensinado que nosso país foi formado por ladrões, prostitutas e aproveitadores. Me lembro que quando as professoras começavam a falar sobre a formação do Brasil eu me sentia extremamente envergonhada da nossa história e sentia inveja das histórias de outros países e seus heróis. Parabéns à todos do PHVox pelo trabalho de resgate histórico. 😊

    1. Também tinha o mesmo sentimento antes de começar a estudar a real história do Brasil, é uma pena que as pessoas sejam enganadas sobre a história de seu próprio país, esses dias a professora estava falando que Dom Pedro II era um escravagista e que o Paraguai era um país super desenvolvido quando começou a guerra, quem baseia seus conhecimentos com base na escola realmente tem 0% de noção do que é o Brasil.

  2. PARABÉNS pelo texto! Mostra muito bem o quevo Brasil passou e está passando. A MAIORIA DO POVO CONTINUA ONERTE AO QUE ESTAMOS PASSANDO. ABRAM OS OLHOS BRASILEIROS!🇧🇷🇧🇷🇧🇷🇧🇷😶😶😶😶

  3. Gostei muito do texto, é concordo plenamente com você, Paulo Henrique Araújo! Muitas pessoas precisam urgentemente aprender com vocês, a nossa história e as nossas raízes, para poder além de conhecer, também sentir orgulho e respeito pela nossa linda nação brasileira! O nosso povo, tão amado, resiliente, forte, simples, inteligente, tão trabalhador! Falta realmente o conhecimento, a oportunidade, sobra esperança e fé! Aprendo com vocês todos os dias, no seu canal, que descobri há uns 8 meses. Parabéns pelo trabalho.

  4. Sou professor e testemunha deste processo nefasto ainda vigente. Os livros didáticos são cartilhas revolucionarias. O sistema estah fechado e consolidado – universidades, editoras, escolas e secretarias de Educação, todos repleto de esquerdistas.

  5. Eu concordo com tudo mas vamos as ações. Acho que tem trabalho de muitos que é expor, parabéns, mas acho que pode mais. Unir diversos grupos, num só coro, na direção do que é de fato interessante e ação. Falamos demais sem tirar o rabo da cadeira. Sem movimento não muda.

  6. Parabéns Paulo Henrique o teor do texto é preciso; vivemos um momento bastante difícil e a incapacidade das pessoas perceberem o significado do que vivemos, impede uma reação a altura. Muito bom texto.

  7. Sim. O conservadorismo está frágil. Nosso povo brasileiro,de maioria conservadora,não é organizado. Obrigada Paulo Henrique,por mais essa aula.

  8. Perfeito Paulo, apesar de nunca gostar da esquerda comunista, tb fui enganada com toda está história, estou aprendendo desde 2018 e me interessando por política real, mas conhecia o movimento de 64 pq tinha parente envolvido e minha cidade tinha um terrorista q morreu e outro estava preso. Do mesmo jeito q eles fizeram com o vírus, fizeram com os acontecimentos da época. Enfim adoro e acredito muito em vcs.

  9. Excelente artigo PH. E toda essa narrativa teve as mãos dos DG, financiando na obscuridade os artífices das sociedades secretas!

  10. É preciso destruir a ideia do coletivismo!! Não existe saúde pública, educação pública, bem da sociedade!!! Em nome destes termos o Estado tem violado todo o conceito de liberdade previsto na Constituição e na Declaração Universal dos Direitos Humanos!!!

  11. Texto muito bom, revelador dos estigmas que se nos impuseram conforme ditavam seus próprios interesses. Conclama a todos nós, brasileiros, a buscar a origem de nossa própria história que, com certeza nos deixará muito gratificados pela descoberta.

  12. Excelente essa opção que vocês nos tem proporcionado de leitura! O exercício de “tirar as vendas dos olhos” é um trabalho árduo, que exige disposição e muito discernimento! E as fontes que que podem nos auxiliar são poucas e precisam ser garimpadas.

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *