Desinformação midiática: o processo de manipulação da opinião pública

Quando menos esperamos, a desinformação bate em nossa porta! Eis que, ao abrir o Portal G1 deparo-me com a seguinte matéria:

Sergipana é eleita deputada no Parlamento espanhol 

Vamos para uma breve análise

A deputada eleita é a senhora Maria das Graças Carvalho Dantas, que posa para a foto fazendo o gesto símbolo dos revolucionários, principalmente comunistas: punho erguido e cerrado.

Ao ler o texto, percebemos que a senhora Maria das Graças, exalta e coloca-se como herdeira do legado de Maria Bonita:

“Sou nordestina cabra da peste, daquela que pega a peixeira e coloca no meio dos dentes, discípula de Maria Bonita.”

Sim Maria Bonita, a esposa do assassino Lampião. Maria Bonita, cúmplice de assassinatos, estupros, roubos, invasão de propriedade, entre muitos outros crimes, é a figura histórica que inspira a mais nova deputada espanhola.

Qual o “pulo do gato” da desinformação?

Mesmo após estes detalhes “menores”, aonde de fato está a desinformação? Logo no início a matéria esconde – recortando o quadro – a camisa trajada na foto abaixo:

A desinformação: Maria das Graças Carvalho Dantas com o punho comunista erguido

Mas… por que? Preferência política faz parte da democracia, mas a matéria em questão tem um objetivo claro com a personagem: colocá-la como uma brasileira batalhadora, que mesmo frente as dificuldades do sertão nordestino “ganhou o mundo”. No bom e velho dito popular: brasileira de espírito aguerrido que agora luta não por ela, mas por um novo povo.

Ainda na matéria citada no início, declara-se cabra da peste e membro do partido Esquerra Republicana de Catalunya.

Este partido foi um dos personagens da crise política de 2017 entre a Catalunya e Espanha. É importante deixar por um momento de desconsiderar a questão histórica que envolve as partes, pois neste episódio, todo o movimento foi inflado por alas comunistas, como relatado na época pelo grande analista político José Carlos Sepúlveda da Fonseca, no canal  Terça Livre (clique para ver o vídeo).

Este é o processo clássico para pescar a atenção e formar a opinião dos leitores sem aprofundamento político: O brasileiro que acorda cedo, trabalha o dia todo e cuida de sua família. Acima de tudo a matéria tenta manipular de tal forma que a nobre deputada aparente ser alguém sem posicionamento ideológico perceptível aos desavisados. Isto é o que Ion Mihai Pacepa chama de “glasnost”, que em poucas palavras podemos definir como um processo de polir a imagem de determinado personagem ou figura pública.

Este pequeno texto tem o objetivo de mostrar como a desinformação é uma ferramenta revolucionária extremamente difícil de combater, pois uma simples chamada, evocando o espirito nacional e o patriotismo, esconde um grande emaranhado politico-ideológico por trás.

Escrito por

Paulo Henrique Araujo

25 Artigos

Palestrante, Apresentador e Diretor Executivo do PHVox.
Ver todos artigos

4 comentários em “Desinformação midiática: o processo de manipulação da opinião pública”

  1. Gosto e muito das reportagens e da visão do nosso querido Jornalista Paulo H. Araújo, do Terça-livre. Fiquei triste, pois ñ tinha notícias do mesmo e por acaso descobri o seu blog hoje. Li todos os seus preciosos ARTIGOS… Indico á todos que AMA a VERDADE e a verdadeira notícia. SUCESSO TOTAL pra vc Prezado Paulo.

    1. Muito obrigado pelas gentis palavras, caro Davi.

      Estarei sempre por aqui, no canal do youtube e também nas redes sociais.

      Forte abraço.

  2. Vivemos uma tragédia sem precedentes!Um buraco sem fundo,sem saída!o passado se repete remoldado ,mas com uma configuração futura mais nefasta,mais tétrica!quem sobreviver verá!

Deixe um comentário

Your email address will not be published. Required fields are marked *